Discussões, Dissertações e Poesia

Template novo by Trotta´s the Greatest!

Agora texto novo nem rola!

Estou fazendo uma coisa que tava quase esquecendo o que era...

 

Trabalhar....

Escrito por Rodrigo Figueiredo. às 10h36 [] [envie esta mensagem]


Olhou no espelho...
Mas não se viu.

Então... Começou...

- Tudo bem?
- Não muito...
- Por quê?
- Por sua causa...
- Como assim?
- Você não me deixa!
- Sério?
- É velho querendo ainda viver...
- E o que você quer?
- Quero que você morra!
- Mas como? Por quê?
- Morre velho!
- Não me maltrate assim. Me deixa viver...
- Não! Seu tempo já passou.
- Mas ainda sou tão novo...
- Pare de se enganar!
- Ainda tenho tanto por fazer...
- Mentira! Quem têm sou eu!
- Mas por que eu tenho que partir?
- Para me dar a liberdade.
- Não podemos continuar juntos?
- Conforme-se!
- Não consigo!
- Solte-se!
- Não posso!
- Desprenda-se destas amarras.
- Mas quem é você? É a própria morte?
- Não. Sou o que você deve se tornar...
- Então o que sou?
- Você é a matriz... Mas
Morte é requisito para a ressurreição (Nietzsche).

Escrito por Rodrigo Figueiredo. às 13h27 [] [envie esta mensagem]


O Castelo Dos Destinos Cruzados

Engenheiros Do Hawaii

Quando você me disse que não era nada
Daquilo que a gente sempre imaginou
Um vento frio soprou, uma janela bateu
Na noite escura da alma
Quando você me olhou daquele jeito
Que só você olhava
Um passarinho voou baixinho
Deixou prá trás tudo que acreditava
Quando as paredes e o teto cairam
Eu pensei que era o final
Mas era só o começo de um problema
Só um pesadelo normal
Lembra de mim, você me enlouquece
A cabeça diz que é besteira
Mas o coração não esquece
No castelo dos destinos que se cruzam no tempo
Ninguém liga se já foi ou se ainda pode ser
Uma criança que nasceu em 62
Uma mulher que eu conheci em 43
Os dias passam lentamente prá quem pensa nos dias
Semanas e semanas só pensando em você
O tempo pinga lento, dentro do meu talismã
Nas estrelas de centauro, hoje é o ontem do amanhã
Lembra de mim...
No castelo dos destinos cruzados
O viajante que chegou pode ser você
Eu fiz de tudo que eu pude para te esquecer
A morte vive aqui do lado só que a gente não vê
Uma pessoa que ficou perdida
Uma pessoa que caiu do céu
Uma pessoa que você já conhecia
Muito antes de nascer e que você perdeu

Atendendo ao pedido...

Melhor dizendo a cobrança...

PS: Dia 20 de agosto!

Escrito por Rodrigo Figueiredo. às 21h25 [] [envie esta mensagem]


 Canto para Minha Morte
(Raul Seixas)
 
Eu sei que determinada rua que eu andei
não tornará a ouvir o som dos meus passos
Tem uma revista que eu guardo há muitos anos e que nunca mais eu vou abrir
Cada vez que eu me despeço de uma pessoa pode ser que essa
pessoa esteja me vendo pela ultima vez
A morte, surda, caminha ao meu lado e eu nao sei em que esquina
ela vai me beijar
Com que rosto ela virá?
Será que ela vai deixar eu acabar o que eu tenho que fazer?
Ou será que ela vai me pegar no meio do copo de uísque
Na musica que eu deixei para compor amanha?
Será que ela vai esperar eu apagar o cigarro no cinzeiro?
 Virá antes de eu encontrar a mulher, a mulher que me foi destinada,
E que está em algum lugar me esperando Embora eu ainda nao a conheça?
 Vou te encontrar vestida de cetim,
 pois em qualquer lugar esperas só por mim
E no teu beijo provar o gosto estranho que eu quero e nao desejo,
mas tenho que encontrar
Vem, mas demore a chegar.
Eu te detesto e amo morte, morte, morte
Que talvez seja o segredo desta vida
 Morte, morte, morte que talvez seja o segredo desta vida
Qual será a forma da minha morte?
Uma das tantas coisas que eu nao escolhi na vida?
Existem tantas... um acidente de carro.
 O coração que se recusa a bater no proximo minuto
A anestesia mal aplicada.
 A vida mal vivida, a ferida malcurada, a dor já envelhecida
O cancer já espalhado e ainda escondido, ou até, quem sabe
Um escorregao idiota, num dia de sol, a cabeca no meio-fio...
Oh morte, tu que es tao forte,
 que matas o gato, o rato e o homem
Vista-se com a tua mais bela roupa quando vieres me buscar
 Que meu corpo seja cremado e que minhas cinzas alimentem a erva
E que a erva alimente outro homem como eu porque eu continuarei neste homem
 Nos meus filhos, na palavra rude que eu disse para alguem que nao gostava
E até no uisque que eu nao terminei de beber aquela noite...
Vou te encontrar vestida de cetim,
pois em qualquer lugar esperas só por mim
E no teu beijo provar o gosto estranho que eu quero e nao desejo,
 mas tenho que encontrar
Vem, mas demore a chegar.
Eu te detesto e amo morte, morte, morte
Que talvez seja o segredo desta vida Morte, morte, morte
que talvez seja o segredo desta vida
Escrito por Rodrigo Figueiredo. às 09h21 [] [envie esta mensagem]


Ideias espalhadas num mar de confusão!

Monta, desmonta refaz ou não...

Escrito por Rodrigo Figueiredo. às 14h46 [] [envie esta mensagem]


 

Arduo amigo guardo com carinho seu retrato.
Considero a sua estima um afago.
Aguardo sempre estasiado os nossos encontros.
Considero sua amizade um achado.
Lado a lado, nunca me sinto desprezado.
Caminhando orientado pelo laço.
Engraçado, estampado...

Ricardo! Meu mais sincero abraço!

 

Parabéns! Muitas felicidades e muitos anos de vida!!!

Escrito por Rodrigo Figueiredo. às 09h39 [] [envie esta mensagem]


Escrito por Rodrigo Figueiredo. às 07h11 [] [envie esta mensagem]


A vida é uma peça de teatro
que não permite ensaios.
Por isso,

cante, ria,
dance, chore
e viva intensamente
cada momento da sua vida.

Antes que a cortina se feche
e a peça termine
sem aplausos.

Charles Chaplin

Escrito por Rodrigo Figueiredo. às 10h47 [] [envie esta mensagem]


Ela olhou no espelho.
Criatura imperfeita, fez sua careta.
Confirma a imagem.
Fala consigo mesma:


- Que foi você fazer?
- Por quê?
- Você sabe! Sabe muito bem o que fez.
- Ora vai! Você tava junto e bem que gostou.
- Gostar é uma coisa, achar certo é outra.
- Falso moralismo, comigo não, criança.
- Sabe muito bem que não é isso. Não fuja de você mesma.
- E se for isso que eu quiser?
- E é?
- Não sei... Pra falar a verdade, não sei...
- Por que não pára? Pede ajuda.
- Não preciso!
- Sério?!? Por isso está perdida?
- Não estou, não!
- Então onde você está?
- Aqui, ora pois!
- Aqui? Mas você só corre para o lado de lá!
- É que é bonito...
- Então fique lá!
- Mas lá, não é meu lugar.
- E onde é então?
- Aqui... Pelo menos eu acho.
- Então seja feliz aqui!
- Me falta algo...
- Pára com isso, vai! Você vai acordar ou não vai?
- Acordar de quê?
- Do sonho.
- Mas qual deles é sonho?
- Aquele que você deixar de escolher.

Escrito por Rodrigo Figueiredo. às 10h05 [] [envie esta mensagem]


Copo de Água

Copo de Água
André Gide

Nós vamos ensinar você o fervor.
Nossos atos se prendem a nós,
como ao fósforo sua luz.
Nos consome
é verdade,
mas fazem nosso esplendor.
E se nossa alma valeu alguma coisa
é por ter ardido mais intensamente do que outras.
Vamos ensinar a você o fervor.
Uma existência patética.
Não a tranquilidade.
Ser tranquilo é ser trágico.
Eu não almejo outro repouso que o sono da morte.
Espero depois de ter exprimido nesta terra
tudo que havia em mim.
Satisfeito morreu completamente.
Desesperado por fazer ainda mais.
Nossa vida a de ser diante de nós
como um copo de água gelada.
O copo úmido nas mãos de quem
tem febre e quer beber,
e bebe tudo de uma vez.
Sabendo que devia guardar,
mas não podendo tirar dos lábios o copo delicioso.
Tão fresca é a água
e tão apaziguadora da sede.

Fonte: Provocações

Escrito por Rodrigo Figueiredo. às 16h14 [] [envie esta mensagem]


ALICE...

"... - Gatinho de Cheshire - começou a dizer timidamente, sem ter certeza se ele gostaria de ser tratado assim, mas ele apenas abriu um pouco mais o sorriso. "Ótimo, parece que gostou", pensou ela, e prosseguiu: - Podia me dizer, por favor, qual é o caminho para sair daqui?
- Isso depende muito do lugar para onde você quer ir - disse o Gato.
- Não me importa muito onde... - disse Alice
- Nesse caso, não importa por onde você vá - disse o Gato.
- ... contanto que eu chegue a algum lugar - acrescentou Alice como explicação.
- É claro que isso acontecerá - disse o Gato - , desde que você ande durante algum tempo.
Isso Alice viu que era impossível negar. Tentou, pois, outra pertunta. - Que espécie de gente vive por aqui?
-Naquela direção (disse o Gato, apontando com a pata direita) mora um Chapeleiro. E naquela (acrescentou, levantando a outra pata) mora a Lebre de Março. Visite um ou o outro, tanto faz: ambos são loucos.
Mas eu não quero me encontrar com gente louca, observou Alice.
Você não pode evitar isso, replicou o gato.
Todos nós aqui somos loucos. Eu sou louco. Você é louca.
Como sabe que eu sou louca?, Indagou Alice.
Deve ser”, disse o gato, “ou não teria vindo aqui."

                                                                         Alice no País das Maravilhas.(Lewis Carrol)

Escrito por Rodrigo Figueiredo. às 12h37 [] [envie esta mensagem]


Escrito por Rodrigo Figueiredo. às 11h04 [] [envie esta mensagem]


Te ofereço...

 

Te ofereço de livre arbítrio...

Aceita, é seu.

Não, não faça-se de rogado.

Só não repare o momento,

Pois isso faz dele menor.

Só não coloque defeito,

Que assim desfaz-se no nó.

Escrito por Rodrigo Figueiredo. às 08h35 [] [envie esta mensagem]


BlogBlogs.Com.Br
Eu publico vários textos. Supostamente, você comenta todos.
Gostou? Ou não gostou? Manda um e-mail!
LINKS:
 Minha Página Pessoal
 Fotos no Multiply
 Marília Blog
 Ricky FotoLog
 Otávio FotoLog
 Fefas's FotoLog
 -> Sotaques <-
 É a mãe!
 Um Clamor :::
 Claro que nunca!
 A Prateleira
 Fefa's BLog
 Di Burros Blog
 Um Pouco Disso e Daquilo
 Blog da Banda Tubaina
 Potterish - Forum
 Blog UOL
VOTAÇÃO:
 Dê uma nota a este blog


XML/RSS Feed
O que é isto?
HISTÓRICO:
 01/01/2007 a 31/01/2007
 01/12/2006 a 31/12/2006
 01/11/2006 a 30/11/2006
 01/10/2006 a 31/10/2006
 01/09/2006 a 30/09/2006
 01/08/2006 a 31/08/2006
 01/07/2006 a 31/07/2006
 01/06/2006 a 30/06/2006
 01/05/2006 a 31/05/2006
 01/04/2006 a 30/04/2006
 01/03/2006 a 31/03/2006
 01/02/2006 a 28/02/2006
 01/01/2006 a 31/01/2006
 01/12/2005 a 31/12/2005
 01/11/2005 a 30/11/2005
 01/10/2005 a 31/10/2005
 01/09/2005 a 30/09/2005
 01/08/2005 a 31/08/2005
 01/07/2005 a 31/07/2005
 01/06/2005 a 30/06/2005
 01/05/2005 a 31/05/2005
 01/04/2005 a 30/04/2005
 01/03/2005 a 31/03/2005
 01/02/2005 a 28/02/2005
 01/01/2005 a 31/01/2005
 01/12/2004 a 31/12/2004
 01/11/2004 a 30/11/2004
 01/10/2004 a 31/10/2004
 01/09/2004 a 30/09/2004
 01/08/2004 a 31/08/2004